NOTA DE FALECIMENTO

NOTA DE FALECIMENTO

Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida…

Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontrarão na portaria um cartaz enorme, no qual estará escrito:

 “Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa”.

“Você está convidado para o velório na quadra de esportes”.

 No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa.

A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.

Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

– Quem será que estava atrapalhando o meu progresso?

– Ainda bem que esse infeliz morreu!

Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros.

Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas.

Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.

A pergunta ecoava na mente de todos:

“Quem está nesse caixão”?

No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo…

Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento:

 VOCÊ MESMO!

Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida.

Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida.

Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

“SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA,

QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU (SUA) NAMORADO (A) MUDA. SUA VIDA MUDA… QUANDO VOCÊ MUDA!

 “VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA.”

 O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos.

A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença.

A vida muda, quando “você muda”.

(Autor desconhecido).

 

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br  –  W: www.3031consult.com.br

CURRICULUM MORTIS

CURRICULUM MORTIS

Você sabe o que significa o Curriculum Mortis?

Leia esse artigo, ou você vai saber o que é da pior maneira

Por Paulo Angelim.

Eu sei que deve ter lhe parecido estranho o título acima.

Você deve estar bem acostumado ao uso do termo “curriculum vitae”.

O documento no qual você reúne informações sobre o que já fez, para justificar o que você ainda pode fazer.

Mas não é para esse que chamo sua atenção.

Vou lhe mostrar que alguns profissionais, conscientemente ou não, escrevem em suas vidas de trabalho um “curriculum mortis”. Explico!

Um “curriculum mortis” é um documento virtual.

 Escrito na mente dos que convivem com você, no trabalho ou fora dele e que reúne as experiências negativas que você tem construído a partir das suas posturas profissionais equivocadas.

Muitas vezes, você pode até acreditar que tais fatos negativos não estão sendo percebidos.  Principalmente porque seus colegas não demonstram qualquer tipo de reprovação, ou rejeição à sua conduta.

Pelo contrário, em alguns desses colegas, você percebe até um leve sorriso acolhedor, daqueles de canto de boca.

Assim, você vai levando sua vidinha profissional medíocre, na certeza de que um dia irão lhe reconhecer e lhe dar o que você merece.

 O pior é que esse dia chega.

 E o pior ainda é que você realmente recebe o que merece: RUA!

Mas, pior do que isso tudo, é que quando você espera a solidariedade dos colegas, eles, na verdade, lhe repreendem com um sonoro:

 “mas amigo você colheu o que você plantou”.

Só você não conseguia enxergar que estava morrendo profissionalmente.” ·.

 Nessa hora, não adianta você argumentar que ninguém tinha lhe alertado sobre essa situação.

Afinal, essa função é prioritariamente sua.

Não é uma tarefa difícil, essa de se auto-avaliar.

Basta olhar para o lado, e perceber como os colegas estão agindo e o que estão fazendo em prol de si mesmos.

O problema é que, quando foi se avaliar, você preferiu se apoiar no sorriso de aprovação, ou nas manifestações “positivas” de alguns colegas, ditas em tom de gozação, do tipo:

 “esse sujeito não tem jeito não!”, ou “essa mulher é única… ah, meu Deus!”, ou “pense, numa mala!!!”.

Bem, para que você pare de correr esses riscos, abaixo segue uma lista de “competências e grandes realizações” retiradas dos “curriculum mortis” dos melhores profissionais zumbis com os quais tive o privilégio de conviver.

É uma lista e tanto!

Missão: desempenhar com competência as funções e tarefas que me solicitarem;

Objetivos: estabilidade profissional e sucesso financeiro;

Pós-graduANDO, há oito anos, por motivo de viagens;

– Curso de inglês, francês e espanhol, incompletos; mas entendo bem todos três;

– Curso básico de Word e Excel. Noções fundamentais de Internet Explorer. Expert em mIRC, Kazaa, e sites de revistas e chats.

– Vários cursos profissionalizantes, todos na minha área, para não perder o foco e comprometer minha expertise;

– Há três anos na mesma função, uma vez que a empresa não oferece oportunidade de crescimento e também porque adoro o que eu faço;

Três experiências anteriores na mesma função e cargo atuais, o que demonstra minha experiência na área;

Qualidades:

-Pontualidade (principalmente na saída),

 Excelente habilidade no relacionamento pessoal (muitas vezes era o animador das festas do departamento e era tido como o mais engraçado),

Obediente (jamais fui chamado à atenção por contrariar a posição de um superior),

Competente (faço tudo exatamente como me pedem);

Hobbies: Televisão, damas e ouvir grupo de pagode (Samba Axé é meu preferido).

Diante desta lista de preciosidades profissionais, avalie seu caso:

Qual dos dois currículos está brilhando mais em sua carreira:

 O vitae ou o mortis?

 Lembre-se que a cada atualização do curriculum vitae você emite uma nova certidão de nascimento profissional.

Já na atualização do “mortis”, você escreve mais uma linha em seu atestado de óbito.

Por Paulo Angelim

 

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br  –  W: www.3031consult.com.br

 

O ABRAÇO

O ABRAÇO – (Contribuição de Altamiro V. V. Carvalho, S. José dos Campos, SP).

O que faz você, por exemplo, quando está com dor de cabeça?

Ou quando está chateado?

Será que existe algum remédio para aliviar a maioria dos problemas físicos e emocionais?

Pois é, durante muito tempo estivemos a procura de alguma coisa:

  • Que nos rejuvenescesse,
  • Que prolongasse o nosso bom humor,
  • Que nos protegesse contra as doenças,
  • Que curasse nossa depressão,
  • Que nos aliviasse de nosso estresse,
  • Que nos fizesse chegar próximo daquele com quem brigamos.

Sim, alguma coisa que fortalecesse nossos laços conjugais e que inclusive nos ajudasse a adormecer tranquilo.

Encontramos!

O remédio havia sido descoberto e já estava a nossa disposição.

E continua ao alcance de nossas mãos.

O mais impressionante de tudo é que, ainda por cima, não nos custa nada.

Aliás, custa sim:

  • Custa um pouco de orgulho,
  • Um pouco de pretensão de sermos autossuficientes,
  • Um pouco de vontade de viver do jeito que queremos, sem dependermos dos outros,
  • Um pouco de vontade de perdoar:

É o ABRAÇO!

O abraço é milagroso,

É medicina realmente muito forte.·.

O abraço como sinal de afetividade, de carinho e de perdão pode nos ajudar a viver mais tempo, proteger-nos contra doenças, curar a depressão e fortificar os laços conjugais e familiares.

O abraço é excelente tônico!

Hoje sabemos que a pessoa deprimida é bem mais suscetível a doenças.

O abraço diminui a depressão e revigora o sistema imunológico da pessoa.

O abraço injeta nova vida nos corpos cansados e fatigados, e a pessoa abraçada se sente muito mais jovem e vibrante.

O abraço aumenta significativamente a hemoglobina na pessoa tocada.

Para lembrar, hemoglobina é aquela parte do sangue que transporta o oxigênio para os órgãos mais vitais do nosso corpo, inclusive o cérebro e o coração.

O uso regular do abraço, por isso tudo, prolonga a vida, sara a
depressão e estimula a vontade de viver, crescer e progredir: 

Sabe quantos abraços você precisa dar por dia?

  • 04 __________ para sobreviver
  • 08 __________ para manter-se vivo
  • 12 __________ para prosperar

E o mais bonito, é que este remédio não tem contra indicações e não há maneira de dá-lo sem recebê-lo de volta!

(Contribuição de Altamiro V. V. Carvalho, S. José dos Campos, SP)

 “O Mundo detesta mudanças, e, no entanto é  a única  coisa que traz  progresso”. 

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br – W: www.3031consult.com.br

 

NÃO VAI HAVER GOLPE?

CLARO QUE NÃO.

IMPEACHEMENT (impedimento), não é golpe, está previsto  na nossa   CONSTINTUIÇÃO.

Segundo o dicionário IMPEDIR = não conseguir, não permitir, interromper, privar de, tolher, proibir.

Continuando com o dicionário GOLPE = Desgraça; Infortúnio; Esperteza; Manobra traiçoeira,

  • Ação desleal, visando prejudicar alguém ou tirar vantagem sobre ele:
  • Medida extraordinária, pela qual o chefe do governo de um país altera ou tenta alterar, violentamente, as suas instituições políticas, para tornar-se ditador, quase sempre com o apoio das forças armadas.

IMPEACHEMENT, sem o devido processo jurídico também é GOLPE, mas não é isso que está acontecendo o congresso está abrindo o devido procedimento jurídico e o resultado será o que os fatos comprovarem, e ai não é GOLPE.

 Portanto a diferença entre as ações é MUITO CLARA.

O que se busca neste momento conturbado da situação política e econômica Brasileira é a de IMPEDIR, que está situação sem solução seja INTERROMPIDA e outros (está também difícil de saber quem são outros), pelo menos tentem mudar esta situação.

Os atuais líderes que se dizem fazer tudo “pelo bem do povo Brasileiro”, não estão conseguindo, porque então não deixar que outros pelo menos tentem.

Notem que as manifestações, nunca antes vistas neste país, buscam o melhor para o BRASIL.

Será que é tão difícil assim, ver que as coisas não vão bem?

Que as soluções de só aumentar impostos já ultrapassaram a capacidade de doação do povo brasileiro?

Que à solução está em cortar gastos governamentais, mordomias, apadrinhamentos, etc.?

Onde está o PATRIOTISMO desses PATRIÓTAS?

 

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br – W: www.3031consult.com.br

ESTA CONTA NÃO É MINHA

Recentemente só se fala em ecologia e ações de preservação da natureza.

Pois bem eu fui deseducado e agora querem que eu (consumidor/povo) pague a conta, portanto vejamos:

Quando eu era garoto ia feira com uma sacola de lona.

Os feirantes embalavam as frutas em sacos de papel e as verduras em jornal.

O açougueiro embalava a carne, primeiro em um papel mais fino e depois em jornal.

Na mercearia os mantimentos (arroz, feijão, etc.) após pesados nas quantidades adquiridas eram embalados em sacos de papel.

O pão em sacos de papel (no caso do pãozinho), as “bengalas” embrulhadas no “papel de pão” como eram chamadas o tipo de papel destinado a este fim.

O Leite; a Cerveja; o Refrigerante eram todos em garrafas e vidro – retornáveis.

Ai em nome do “PROGRESSO” cria-se o supermercado que acabou com todos os pequenos comerciantes, propagandeando que aqui tem tudo e, além disso, te dou tudo embalado em embalagens, bem mais resistentes que os “sacos de papel”.

As indústrias engarrafadoras substituem a garrafa, retornável de VIDRO pelo PET.

Agora eu (consumidor/povo) sou o culpado de POLUIR O PLANETA?

Aonde esta a responsabilidade dos

  • DESENVOLVIMENTISTAS;
  • DOS GRANDES ATACADISTAS E
  • DOS SUPERMERCADOS?

Por que eu(consumidor/povo) tenho agora que comprar uma sacola retornável (que fui persuadido a jogar fora a que eu tinha), para ir ao supermercado que agora quer  me vender também a embalagem, embalagem está que já esta incluída nos custos dos produtos que me vende.

Porque os supermercados não adotam, como em outros países as embalagens ecologicamente corretas, de papel resistente, inclusive sacolas com alça de corda que resistem até 10 kg, e:

NÃO SÃO POLUIDORAS?

Porque os fabricantes de sacos plásticos e embalagens pet, não são responsabilizados pelo descarte ecológico do seu produto, como já é feito coma as baterias de celular e pneus, e outros produtos, onde os fabricantes e importadores são responsáveis pelo descarte ecológico do produto que fabricam ou vendem.

NÃO ESTA CONTA NÃO É MINHA (consumidor/povo)

Convoco a todos para uma campanha nacional para que os responsáveis pelo desenvolvimento também sejam responsáveis pelo descarte de seus:

Produtos poluíveis. – E QUE PAGEM A CONTA.

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br –  W: www.3031consult.com.br

 

 

 

CONSTRUÇÃO COMEÇA PELO TELHADO?

A resposta normal seria NÃO, mas para nossos gestores governamentais a resposta é SIM; vejamos:

Para se construir algo, primeiro se faz um estudo de viabilidade, depois o planejamento de como será construído, incluindo os recursos e os prazos para cada faze do projeto.

Inicia-se então a construção pela base, dos alicerces e ai por diante.

Porém para nossos gestores governamentais isto não é seguido.

Primeiro viabiliza-se os recursos e inicia-se a compra pelo telhado, para garantir verbas para a obra, se elas não vierem o telhado fica ao relento se estrando.

Se não vejamos os casos concretos;

  • As obras para a copa, que já se passaram, praticamente dois anos e não foram concluídas. Em um estado onde deveria ser construído um metro de superfície, as obra estão pela metade, mas todos os trens estão prontos, entregues e pagos estocados ao relento se estragando com as intempéries.
  • Condomínios do “Minha Casa Minha Vida”, destinados as famílias mais carentes, já são entregues com problemas elétricos e hidráulicos e nas primeiras chuvas já apresentam rachaduras, porque o terreno e o alicerce não foram bem planejados e executados.
  • E a indústria do buraco? Ninguém fala nada?
  • Será que nossa engenharia é tão atrasada que não sabe construir Estradas, Avenidas e Ruas?
  • Quando é necessário um reparo, fazem um morro que em pouco tempo volta a ser um buraco maior e os gestores governamentais culpam as chuvas.
  • Será que nos outros países não chove? Por que no EUA ou na EUROPA, não se vê esses morros de concerto, mas sim vias muito bem planejadas e construídas e o pior

Como pode isso acontecer em pleno século XXI?

Ganância, irresponsabilidade, interesses pessoais?

Onde está o planejamento; a punição pelo não cumprimento das tarefas, nos prazos contratados?

Uma pergunta e o dinheiro? Foi recebido? Com certeza SIM.

CONCLUSÃO

O povo já sofrido deste País não merece os GESTORES GOVERNAMENTAIS, que estão ai.

Pense nisso, reflita bem e LUTE PELA MUDANÇA.

 

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br – W: www.3031consult.com.br

 

ATÉ QUANDO?

Todos os políticos “vendem” para seus eleitores que querem o bem do “POVO”.

Os partidos ao qual pertencem propagandeiam que seu estatuto e seus colaboradores, são a melhor solução para o País.

Mas, qual é a realidade?

É a que estamos em uma situação lamentável.

Todos, os indicadores de desempenho estão deploráveis, e não se vê uma ação real, séria e concreta para que uma ação para correção seja tomada.

O que se vê são acusações mútuas e soluções para aumentar os impostos para sustentar as máquinas públicas, tanto municipais, como estaduais, como federais.

Não vemos em nenhuma instância governamental o corte de despesas, como qualquer família, ou empresa faz.

O corte dos “colaboradores de confiança”, que consomem recursos e nada produzem, permanece e do outro lado faltam recursos, para a Educação, Saúde e Segurança, entre outros.

Os investimentos governamentais, em todas as esferas, são empreendimentos com custos exorbitantes e o pior NUNCA TERMINAM.

Os fornecedores não têm mais nenhuma responsabilidade sobre o que fornecem.

Dá sua “melhor cotação”, ganha a concorrência começam a fornecer (serviços ou obras), não concluem, abandonam os materiais usados ficam estragando-se e os Gestores não fazem nada.

Ninguém assume a responsabilidade.

Nenhuma punição e aplicada, ou seja: NADA ACONTECE.

 Até quando isto vai continuar?

Até quando vamos continuar sendo ludibriados, enganados, explorados?

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br – W: www.3031consult.com.br

 

O CONSULTOR

O Consultor, através de sua  experiência, é capaz de diagnosticar procedimentos que, pelo convívio constante, podem não estar sendo observados pelo empresário.

Sendo totalmente imparcial e alheio aos dogmas e tradições que se criam nas empresas, através dos tempos, o consultor está imune aos sentimentos e compromissos que, por vezes, dificultam a tomada de ações absolutamente necessárias para que a empresa atinja os resultados propostos e indispensáveis à sua permanência no mercado.

O consultor encara todas as situações e busca as soluções.

Avalia os profissionais e os orienta sobre os melhores caminhos a seguir  tendo em vista a missão da empresa.

Busca criar o comprometimento necessário para que as mudanças sejam executadas.

Com sua análise e experiência o consultor e o empresário encontram soluções simples para problemas complexos.

QUEM NECESSITA DE CONSULTORIA?

O mito de que consultores cobram valores absurdos e que somente grandes empresas multinacionais podem contratá-los, tem privado pequenas e médias empresas de um recurso de extrema importância e  por vezes vital para o crescimento ou até mesmo a sobrevivência da mesma.

Toda empresa deveria, periodicamente, contratar uma consultoria para que um diagnóstico de profissionais especializados, isentos de emoções pessoais dando uma nova oxigenação na empresa, transformando-se em uma valiosa ferramenta de inovação e modernidade.

Tente. Chame-nos, para uma conversa  sem compromisso.  Você vai se surpreender.

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br  – W: www.3031consult.com.br

O CÃO VENDEDOR

Este artigo, humorístico, de conhecimento de muitas pessoas, vale a pena ser relembrado e refletido a respeito.

Possui “cenas” do cotidiano, as quais muitas das vezes não percebemos em nós mesmos.

Sucesso, bajulação, muitas vezes pode virar, arrogância, acomodação, falta de paciência, falta de entusiasmo.

Portanto leiam com atenção este artigo e aproveitem bem seus ensinamentos.

O  CÃO  VENDEDOR

(Autor: desconhecido)

Havia um armazém, na boca da mata, que vendia tudo o que os caçadores precisavam para fazer as suas caçadas:

  • Armas;
  • Munições;
  • Provisões;
  • Roupas;

Enfim, tudo o que era necessário.

O dono do armazém, um velho senhor, também alugava cachorros farejadores para os caçadores.

 Todos eles muito bons.

Entre todos, porém, havia um muito especial.

Era o melhor, sem sombra de dúvida.

Era o mais desejado por todos os caçadores.

Queriam aquele específico cão farejador, porque com ele a caçada era sempre o maior sucesso.

O nome desse campeão era “vendedor”. 

Todos queriam o vendedor.

Entre todos os caçadores existia um que ia caçar todos os anos e quando passava pelo armazém, já logo perguntava:

“Cadê o vendedor?”

O dono respondia:

“Tá caçando, só volta daqui a três dias “.

O caçador, então dizia:

“Tudo bem, vou esperar “.

O vendedor não tinha folga. Todo mundo o queria.

Até que, no outro ano, o caçador passou novamente pelo armazém, preparando-se para mais uma caçada, e perguntou:

“Cadê o vendedor?”

O dono respondeu:

“Tá ali, deitado na sombra”.

O caçador foi até  lá e viu o vendedor.

Estava gordo, enorme e pachorrento; nem conseguia abrir os olhos direito.

Espantado com o estado letárgico do vendedor, o caçador perguntou ao dono do armazém:

“Mas o que houve com o vendedor”?

  • Ele era sempre tão esperto, ágil e alegre!
  • Agora está tão gordo, balofo, que quase nem se mexe!

O dono do armazém respondeu:

“Olha moço, o que houve eu não sei, só sei que no ano passado fizeram uma reunião aqui e resolveram promovê-lo a supervisor ou gerente e desde então, ele não quer saber de mais nada”.

(Autor: desconhecido)

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br      W: www.3031consult.com.br

AS TRÊS PENEIRAS

Olavo foi transferido de projeto;

Logo no primeiro dia, para fazer média com o novo chefe, saiu-se com esta:

Chefe, o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Silva.

Disseram que ele…

Nem chegou a terminar a frase, JULIANO, o chefe, aparteou:

Espere um pouco, Olavo.

O que você vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?

Peneiras? Que peneiras chefe?

A primeira, Olavo, é a da VERDADE.

Você tem certeza de que esse fato é absolutamente VERDADEIRO?

Não. Não tenho, não. Como posso saber?  O que sei, foi o que me contaram. Mas eu acho que…

E novamente, Olavo é interrompido pelo chefe:

Então sua estória, já VAZOU A PRIMEIRA PENEIRA.

Vamos então para a segunda peneira que é a da BONDADE.

O que você vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito?

Claro que não! Deus me livre, chefe; diz Olavo, assustado.

Então, continua o chefe, sua estória VAZOU A SEGUNDA PENEIRA.

Vamos ver a terceira peneira, que é a da NECESSIDADE.

Você acha mesmo necessário me contar esse fato ou mesmo passá-lo adiante?

Não chefe.

Passando pelo crivo dessas peneiras, viu que não sobrou nada do que iria contar;

Diz Olavo, surpreendido.

Pois é Olavo. Já pensou como as pessoas seriam mais felizes, se todos usassem essas peneiras? – diz o chefe sorrindo e continua:

Da próxima vez em que surgir um BOATO por ai submeta-o ao crivo dessas

  • TRÊS PENEIRAS:
    • VERDADE,
    • BONDADE,
    • NECESSIDADE,

Antes de obedecer ao impulso de passá-lo adiante, por que:

  • PESSOAS INTELIGENTES FALAM SOBRE IDÉIAS.
  • PESSOAS COMUNS FALAM SOBRE COISAS.
  • PESSOAS MEDÍOCRES FALAM SOBRE PESSOAS.

Pense sempre nisso

(Autor Desconhecido)

Virgilio Dias é Consultor de Empresas, Empresário e Palestrante.

E:  virgilio@3031consult.com.br   –   W: www.3031consult.com.br